Portal de apoio a comunidade

Relato de uma jovem cientista

24 de novembro de 2017

Por Ana Luísa Calmon

ANALU SITE

Quantas ideias você desistiu de compartilhar com os outros por achar que não eram boas o suficiente? Bom, eu já fiz isso inúmeras vezes!

É bem comum que as pessoas não confiem no seu próprio potencial, ou sequer o conheçam, tendo receio de expor seus pensamentos e grande parte das vezes isso acontece devido à falta de incentivo. É surpreendente a quantidade de objetivos que você consegue alcançar quando passa a acreditar na sua capacidade e quando você é incentivado a colocar em prática suas ideias. Eu sei disso, porque se não fosse o incentivo da minha escola, família e amigos, eu também não teria conquistado grande parte daquilo que realizei e que hoje eu me orgulho tanto.

Meu nome é Ana Luísa Calmon, tenho 15 anos, sou de Minas Gerais e moro em Nova Mutum Paraná – RO. Sou estudante do primeiro ano do Ensino Médio no Colégio Tiradentes da Polícia Militar II, em Jaci Paraná. Todos os dias eu viajo 10 km de van até o local em que a minha escola fica situada.

Quando cheguei em Nova Mutum Paraná, eu estava completamente desanimada com essa mudança tão grande e desinteressada com os estudos, mas aqui conheci pessoas que foram muito importantes para o meu desenvolvimento, tanto na escola, quanto na área da pesquisa científica.

Graças ao incentivo da diretora do colégio, meus novos amigos, docentes, dentre várias outras pessoas, eu descobri que tinha a capacidade de fazer muito além do que podia imaginar e foi assim que comecei a criar projetos científicos. A minha primeira participação foi em uma feira científica chamada MOSTRATEC 2016, Mostra Internacional de Ciência e Tecnologia, em Novo Hamburgo – RS, com o projeto “Robô Guia”, que tinha como objetivo auxiliar na mobilidade de pessoas com deficiência visual, uma das experiências mais incríveis que eu já tive.

Atualmente, eu tenho um projeto chamado “Barrinhas Nutritivas”, produzidas a partir de sementes que geralmente não são utilizadas e frutos típicos da região amazônica, que neste ano, já foi apresentado e premiado em uma feira estadual, a FEROCIT, Feira de Rondônia Científica de Inovação e Tecnologia, e em um congresso internacional, o II Encuentro Latinoamericano de Semilleros, Jóvenes e Investigadores, em Valledupar, na Colômbia. Além disso, o projeto foi credenciado para um congresso no Panamá em maio de 2018.

Todas as minhas conquistas não seriam possíveis se as pessoas ao meu redor não tivessem me cativado a acreditar no meu potencial e por isso, eu acho essencial incentivar outras pessoas a acreditarem em si mesmas. Pode ser que o seu talento seja para a ciência, ou talvez para a arte, mas o mais importante é que você deve confiar na sua capacidade de fazer tudo o que você desejar! Sua determinação pode quebrar barreiras!

Para abordar um pouco mais sobre o assunto e contar melhor essa história, a equipe do Núcleo de Comunicação do Observatório Ambiental, a qual faço parte, está produzindo um vídeo com o objetivo de instigar as pessoas, principalmente os jovens, à reflexão. O vídeo estará disponível em breve no nosso site, canal do YouTube e também no Facebook!

  • Árvore é vida, respire essa ideia!
  • Comunidade em Foco – Começar de novo
  • Alimentação Irregular
  • Relato de uma jovem cientista
  • A CRENÇA DITA! SORTE OU AZAR?
  • Coluna Cultural | Ballet