Portal de apoio a comunidade

REUTILIZAÇÃO GERA RENDA EM DISTRITO

11 de novembro de 2015

Por Institucional ESBR

Construção de barco pet é aposta de usina para geração de renda em Demarcação

A comunidade do distrito de Demarcação, às margens do Rio Machado a 202 km de Porto Velho, foi contemplada com uma proposta de educação ambiental sobre reutilização, por meio do Programa de Ações à Jusante (PAJ) da Usina Hidrelétrica Jirau.

A proposta tem por objetivo, realizar atividades voltadas ao manejo adequado dos resíduos sólidos, a fim de desenvolver coletivamente, ações sustentáveis que contribuam para a proteção e conservação do meio ambiente. Dessa forma, a construção do barco pet é resultado deste trabalho. A empresa Arcadis Logos, contratada da Energia Sustentável do Brasil (concessionária da UHE Jirau) para executar o PAJ, denominou como “ECOJovem” as atividades de reutilização realizadas com a participação de 15 jovens e adolescentes de Demarcação. Tal projeto contempla a construção de um barco com aproveitamento de garrafas pet, descartadas no distrito.

Esta ação foi iniciada em fevereiro deste ano, com oficinas de conscientização para toda a comunidade e oficina de construção dos ECOPONTOs, que são os locais específicos para coleta de material plástico e metal. Estes locais foram construídos com reaproveitamento de madeira do próprio distrito. A coordenadora de campo do PAJ pela Arcadis Logos, Sandra Regina dos Santos, explica que todas as ações do projeto estão relacionadas à redução de resíduos através dos 3 Rs da sustentabilidade: Reduzir, Reutilizar e Reciclar. “O projeto foi bem visto pela comunidade. Porém, sem uma política pública definida para a coleta seletiva de lixo, as iniciativas travam na falta de transporte para os resíduos sólidos na região do Baixo Madeira. Desta forma, a estratégia foi fazer o reaproveitamento do material na própria localidade.

No total, cinco mil garrafas pet foram recicladas”, informa. Sobre o barco pet – O barco é feito totalmente de plástico reaproveitado e madeira reutilizada. Ao todo, cinco mil garrafas pet e 28 ripas de madeira Itaúba foram usadas na confecção, sendo duas mil garrafas somente na base do flutuante. Durante 15 dias, jovens e adolescentes se empenharam na construção, sempre iniciando o trabalho com as reuniões de Diálogo de Saúde e Segurança do Trabalho. O barco possui cinco metros de comprimento, 1,20 de largura e 95 centímetros de profundidade. Possui uma capacidade para carregar até cinco pessoas e já conta com dois interessados em comprá-lo. Uma ideia que deu certo, gerando renda e preservando o meio ambiente.

De acordo com o gerente de Meio Ambiente e Socioeconomia da Energia Sustentável do Brasil, Veríssimo Neto, a proposta foi criada de acordo com as necessidades identificadas na comunidade. “O envolvimento dos jovens foi de extrema relevância nesse processo, pois a Energia Sustentável acredita em uma geração consciente e capacitada, atuando em um projeto de sustentabilidade. Não somente o meio ambiente ganha com estas ações, mas também as pessoas, através do desenvolvimento social e econômico”, enfatiza.